quarta-feira, setembro 24

parto natural é normal ou parto normal é natural?


Recentemente meu irmão e minha cunhada tiveram um bebê e, todo o processo do parto me fez pensar nas vantagens e desvantagens do parto normal.

O que se conta é que só existem vantagens "Permite a liberação de "coquetel do amor", conjunto de hormônios que conduzem o parto ao seu apogeu, o período expulsivo, atingindo o pique máximo de ocitocina" ou “Quando nasce a capacidade de amar” · No que deve estar se referindo ao vínculo mãe-bebê.

Essa tal ocitocina ou oxitocina é um hormonio produzido pelo hipotálamo e armazenada na hipófise posterior (neuro-hipófise), e tem a função de promover as contrações uterinas durante o parto e a ejecção do leite durante a amamentação. (Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.)

Esse hormônio também é vinculado a capacidade do ser humano de ser fiel ou mesmo ao orgasmo.

Diz-se do parto normal que propicia à mãe e ao bebê uma experiência de engrandecimento porque eles literalmente vivenciaram o parto. Mas a verdade é que é um "tiro no escuro", porque muitas coisas podem não dar certo. Mesmo com a bateria de exames pré-natais, não se pode prever tudo.

"O bebê está física e psicologicamente pronto para nascer, tem seus órgãos internos prontos para se adaptarem ao mundo externo, de alguma forma sabe que está nascendo, e, após o parto, está atento e alerta, pronto para reconhecer e se relacionar com sua mãe. Seu batimento cardíaco e sua respiração vão se acomodando à nova condição terrestre, sem violência ou pressa. Leia: “O parto sem violência”·

pfff

Mentira!

Passar até 12 horas sentindo contrações, podendo dilatar veias e vasos até do próprio rosto fazendo força é violência sim.
Fora o risco de sofrimento fetal.

"O sofrimento fetal (falta de oxigenação fetal), é comumente utilizado como justificativa para cesárea, e certamente o termo é aterrorizante, que mãe pode ficar tranquila com a suposição de que seu bebê se encontra em sofrimento?


Por isso é utilizado o termo hipoxia, e porque a maioria dos bebês com esse diagnóstico de sofrimento fetal nascem com bons escores de Apgar e com pH normal no sangue do cordão. Exames comprovam se EFETIVAMENTE houve hipóxia, ou seja, redução do suprimento sanguíneo/frequência cardíaca fetal não-tranquilizadora ( tudo bem que realmente não tranquiliza muito, mas ainda é melhor que "sofrimento") que podem estar associadas com o comprometimento da oxigenação do bebê no parto normal.

Sem falar de risco de Desaceleração (é quando, ao invés de subir, os batimentos caem durante ou depois de uma contração ou seguindo-se aos movimentos); Bradiocardia fetal abaixo de 110 (é a frequência cardíacabpm, isolada não tem valor prognóstico, se associada a desacelerações tardias indica possibilidade de hipoxia fetal=o bebê fica sem o suprimento necessário de oxigênio, exigindo uma cesárea imediata); Taquicardia (é a frequência cardíaca fetal acima de 160bpm)


Complicado não?
Com base nisso eu comecei a me perguntar por que correr esse risco?
E tudo me parece muito violento. Deveras!!

A maioria dos obstetras brasileiros indica o parto normal como o melhor a ser feito, para a mamãe e para o bebê, mas vamos ver pelo lado étnico da questão.

Gente de Deos! Somos um país de miscigenação. Se existe algum nativo brasileiro, deve ser tataraneto de índio; porque todos nós somos filhos, netos e bisnetos de imigrantes alemães, japoneses, portugueses, franceses, africanos e etc.
Aqui não é como no Japão cuja maioria tem a mesma etnia.

Minha cunhada foi convencida a fazer parto normal; passou mais de 8 horas de angustia e sofrimento assistido por uma enfermeira obstetra (que não sabe e/ou pode fazer procedimento cirúrgico), o bebê teve sofrimento no parto e, nas primeiras horas de vida já foi medicado (pasmem!) com Gardenal, porque teve convulsões. Se isso não é violência, penso que não sei o significado do termo.

Acho que o parto natural viola todos os direitos humanos, mas pode dar certo pra quem tem fé e muita sorte. Não vejo é porque chamam de normal; isso eu não entendo. E, se é pra ser normal, que seja de cócoras, a moda dos índios.

prontofalei!


*
A Escala ou Índice de Apgar consiste na avaliação de 5 sinais objetivos do recém-nascido no primeiro e no quinto minutos após o nascimento, atribuindo-se a cada um dos sinais uma pontuação de 0 a 2, sendo utilizado para avaliar as condições dos recém-nascidos. (Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.)

6 comentários:

Andréia Santana disse...

Oi! Cheguei aqui através de sua visita ao meu blog.

Vc deixou um comentário em uma da minhas postagens "Você não é feia... Você é pobre!". Onde você disse: "oh my Gordon!"
Bom! A respeito de seu comentário, eu sei o que você disse, mas não entendi o sentido da frase.

Agora, a respeito de sua postagem sobre o parto natural ou normal... eu adorei!.

Tenho 32 anos e ainda não tive filhos, e penso em ter nesse ano, mas morro de medo de parto normal.
Tive uma prima que sua primeira filha foi parto normal... quer dizer, era pra ser um parto normal, mas depois de muitas horas de sofrimento, os médicos constataram que ela não tinha espaço para a passagem da criança e não tinham mais tempo de fazer uma cesária; e o parto normal virou parto fórceps.
Conclusão: Além do sofrimento e os riscos que ela e a criança tinham passado; ela ainda foi machucada, e a criança teve um de seus braços quebrado na hora de puxarem com o instrumento que usam nesse tipo de parto.
Com a sua segunda filha, os médicos queriam e recomendava pra que ela tivesse "NORMAL". Ela pagou pra ter cesária, e não recomenda a ninguém pra ter normal.

Como você mesmo disse: "É um tiro no escuro!!!"

Beijos, Andréia Santana.

Mariana disse...

Ok, há alguns contratempos. Porém todos nós sabemos q a medicina começou a evoluir somente a algumas décadas. Ou seja, a pouco mais de um séculos o parto cesaria não existia. E se havia alguma complicação, o bebe morria(quando não a mãe).
Será q com a cesária não estamos interferindo no destino??
Bebes que não eram para vingar, vingam devido a tecnologia da medicina.
Isso sim seria um atentado a vida!!

Dorilaine disse...

Olá! Gostaria de falar sobre o parto normal. Se vc é uma pessoa crente, sabe que realmente é normal a mulher parir normalmente. E que o sofrimento faz parte da vida de todas nós, mulheres, de uma forma ou de outra. Tive duas filhas de parto normal. A primeira entrei em trabalho as 4, as 8e38 ela nasceu bem rápido. A segunda, foi das 4 às 855. Dei sorte. A única coisa que não gosdtei foi a episiotomia. S e tiver o terceiro filho, gostaria que não me cortassem. É o pior de tudo, na minha opinião. Mas não dá prá morrer, não! Depende da capacidade de suportar a dor de cada mulher. Grande beijo.

Vany disse...

Olá, meu nome é Vanessa e tenho dois filhos, um de parto normal e o outro de cesária, quem nunca teve filhos não pode opinar pois não sabe na realidade o que se passa, discordo totalmente quando você diz: "Acho que o parto natural viola todos os direitos humanos, mas pode dar certo pra quem tem fé e muita sorte." Porque você acha esse absurdo??? Tive as duas experiências e posso te garantir que o parto normal é e sempre vai ser o mais seguro pra mãe e bebê, as dores do parto é a ordem natural da vida, se não queria sentir dor então não tivesse filhos, porque é mais uma prova que não está preparada para ser mãe, a cesária somente em último caso, quando o bebê pode entrar em sofrimento, que foi o caso da minha última gravidez, fiquei 7:30 em trabalho de parto e lutei até o fim para ter um parto normal, pois a recuperação é mais rápida, tem menos riscos de infecção, você de imediato pode amamentar e dar todo amor e atenção ao seu filho, mas minha menina havia virado a cabecinha e não havia maneira de nascer de parto normal, então fiz a cesária. "É violencia tirar seu filho à força de dentro doseu ventre sem ele estar prepardo e ter chegado a hora certa de nascer" somente para não sentir dor, isso é um absurdo!!! Então não tivesse filhos... desde o nascimento está fazendo as escolhas erradas para seu bebê. Sou a favor sim, do parto natural humanizado, com acompanhamento dos familiares, apoio do marido e que o bebê decide o melhor momento pra vir ao mundo. Se sua cunhada sofreu, talvez ela foi mal assistida pela saúde, aí então não foi culpa do parto normal e sim da condição em que ocorreu o parto se tivesse sido melhor assistida não teria sofrido tanto. O parto normal é tão importante como a amamentação...

Vlw..

EU AMO UUMA PESSOA COM AUTISMO disse...

oi meu nome é luciana e tenho 2 um casal a primeira nasceu de parto anormal porque normal não foi, passei 18 hs em trabalho de parto com a bolsa já estourada desde o primeiro minuto que cheguei. meu parto foi feito com 7 cm de dilatação e minha filha nasceu com 3645kg muito grande o medico pedia pra fazer força mas ela não coroava foi então que o medico subio na minha barriga e empurrou ela e minha filha coroou a força ela nasceu bem mas hoje ela tem autismo devido ao sofrimebnto perinatal esta fazendo tratamento na FUNAD é muito dificil não recomento parto normal

Marilia Mercer disse...

Olá.
Isso que você e a colega acima relataram não é normal e não é como deveriam tratar o parto. Isso é violência obstétrica e deveria ser denunciado.
Existe parto com respeito e parto violento. Se informem sobre humanização do parto e violência obstétrica.